Poesia: Sorte

by 2/17/2011 0 comentários
Sorte alada,
        Quase nunca pousa.
Não espere por ela,
      Suas asas pausam pouco.
   Pista de pouso,
de nada adianta.
      Acorde suas próprias asas,
só assim poderão voar.
 



SS Martinelli

S²FM

Pela janela olhei, tulipas não encontrei. Pensei, Filosofei, Bloguei.