Pocket conto: Sabida

by 10/19/2011 1 comentários
Em uma manhã qualquer, o cachorro do vizinho acorda dona Sabida antes mesmo do raiar do dia. - Maldito quatro patas! 
Mal humorada, Sabida coloca o travesseiro no rosto com intenção de diminuir o barulho. 
O cachorro late novamente. 
Soltando fogo pelas ventas, Sabida levanta e vai até o interfone: 
- Bom dia Severino, será que você pode ligar para meu vizinho e pedir que ele acalme o cachorro?
- Dona Sabida, a senhora está bem?
- Tirando o fato de serem cinco e quarenta e cinco da manhã, estou ótima. Por que? 
- A senhora esqueceu que neste prédio ninguém tem cachorro? 
Sabida desliga o interfone imaginando ter sonhado com o tal latido, mas quando volta para cama escuta novamente o pequeno e agudo latido. 
- Mas o que? Será o Benedito?! Questiona Sabida enquanto caminha em direção a porta - seu destino reclamar com o vizinho. 
Ao girar a chave e abrir a porta, depara-se com o improvável, seu melhor amigo da infância – Toby, o cachorrinho a aguarda abanando o rabinho.

SS Martinelli

S²FM

Pela janela olhei, tulipas não encontrei. Pensei, Filosofei, Bloguei.