Sonhos Quebrados

by 3/26/2012 4 comentários
Um dia depois que completei quarenta anos fui acordado pelo som repentino, porém já anunciado de um estouro.

Devido a forte descarga de adrenalina, meio segundo depois estava na sala.

Olhei para todos os lados a procura do que havia se quebrado, demorei a perceber o quebra cabeça em cima da mesa, tampouco entendi seu motivo em estar ali, em toda minha vida nunca fui apresentado a sua existência nem mesmo na infância, mas hoje não sei como, tinha um em minha mesa.

Com cautela aproximei-me do tal objeto, teriam meus amigos pregado uma peça? O que aquele quebra cabeças com mais de mil peças estava fazendo na minha mesa?

Quando ainda atordoado percebi que das mil peças, eu conhecia todas, cai para trás e desfaleci.

Não sei se o que aconteceu a partir daí foi real ou ilusão, o que posso afirmar é que vivi o encontro de todos os encontros. Quer saber que encontro foi este? Vou contar:

No momento em que bati os olhos nas peças quebradas percebi que ali jaziam meus sonhos. Não pergunte como, mas caso conseguisse juntar todas aquelas peças, o quadro das minhas mais profundas aspirações surgiria.

É claro que ao perceber tal milagre, comecei em vão a juntar as peças, mas por mais força que fizesse nada saia do lugar, era como se as peças fossem ímãs negativos, se repelindo cada vez que eu as aproximava. Quando estava na décima tentativa, para meu mais desesperador espanto, ali no canto apareceu-me um anjo.

 - Bom dia Otávio
Sem palavras e abobado só consegui acenar com a cabeça. 
 - Vejo que seu momento chegou. 
 - Meu momento? Perguntei gaguejando. 
 - Sim Otávio, seu momento, há tempos você vem ignorando o tempo que lhe dei. Você sonhou nada concretizou e agora seu tempo acabou!
 - Meu tempo acabou?
Não só estava parecendo um mentalmente desfavorecido, como estava me sentindo um. 
- O que você está vendo em cima desta mesa são seus sonhos despedaçados. 
- Isso já tinha percebido, o que não entendi é o que você está fazendo aqui? 
- Vim, pois nós, mestres dos sonhos, temos a obrigação não só de comunicar o fim de seus anseios, como também o que você pode fazer para reconquistá-los. 
- Reconquistá-los? Quer dizer que ainda posso concretizar meus sonhos? 
- Quer dizer que você pode conquistar o desejo de voltar a sonhar, já sua concretização depende tão e somente de suas ações posteriores. 
Permaneci calado até que enfim perguntei:
- Ok seu mestre dos sonhos, o que tenho que fazer para recuperar meus sonhos não realizados? 
- Você deve ir ao inferno.
 - Já não estou lá? 
 - Não, meu querido desfavorecido, você ainda não está lá.

Depois de alguns minutos de explanação, o tal anjo desapareceu com a mesma facilidade com que tinha aparecido. Ainda estupefato e com medo do esquecimento recordava ferozmente de todas as instruções.

"Você deve seguir ao submundo se pretende recuperar o desejo de sonhar. Somente lá poderá derreter todas as peças que juntas formam seus sonhos e assim reunifica-las. Não deve pedir ajuda de ninguém, se o fizer estará dando adeus definitivo a possibilidade de sonhar. Também não deve comunicar ninguém sobre sua viagem, simplesmente troque de roupa, pegue um saco, coloque os pedaços de seus sonhos e siga seu caminho." 
 
- Seguir meu caminho? Que caminho é este? ANJOOOO QUAL É O ENDEREÇO DO INFERNO? Gritei desesperado e em vão, ele nunca mais retornou, nunca soube o caminho para o inferno.

Hoje, vinte anos depois daquele dia que completei quarenta anos, meus sonhos continuam despedaçados, vivo sem graça, na enfadonha rotina de quem não tem anseios, na plenitude do dia após dia...Ei espera aí, não é possível, será? Não, não pode ser... Não pode ser... Como não percebi? Sou mesmo desfavorecido!! Já perdi tempo demais, cadê o fogo? Cadê? Cadê, cadê cadê.... A lá, já vejo as labaredas.

SS Martinelli

S²FM

Pela janela olhei, tulipas não encontrei. Pensei, Filosofei, Bloguei.