Conto Filosófico: O sofrimento

by 6/04/2013 0 comentários
Um homem cansado de sofrer acordou um dia decidido a percorrer centros espirituais em busca de respostas e soluções.

Sua primeira parada, uma igreja. Lá ele assistiu a missa, rezou e ao confessar seus padecimentos recebeu do padre uma lista de rezas.

Dez dias após o termino das rezas, o homem nada havia mudado e decidiu continuar a busca.

Sua segunda parada foi a um templo evangélico. Ele assistiu a pregação, passou pelo ritual de desobsessão e mesmo assim continuou a não entender o motivo de tanto sofrimento.

A terceira e quarta parada foram a centros espirituais, kardecista e umbandista. Um libertou-o mais uma vez de obsessores, o outro mostrou como acalmar as almas perturbadas.

Apesar de se sentir melhor, nenhuma de suas paradas lhe proporcionou o real motivo de seu sofrimento. Ele não acreditava em karma, em espíritos obsessores, em influência do diabo, na culpa de Deus, qual seria então o motivo?

No fim da jornada, com os pés maltratados ele avistou um casebre humilde no meio do nada. Sem segundos pensamentos, o homem bateu a porta. Um senhor de cabeça raspada carregando um cajado abriu-lhe a porta convidando-o a entrar.

O senhor não perguntou quem ele  era e nem não quis saber o porquê estava ali. Em silêncio o homem aceitou a água e pedaço de pão oferecido pelo senhor e logo depois de comer pernoitou em um colchão feito de palha. Ao amanhecer foi acordado pelo toque de um sino.

Desperto e já no caminho da porta o homem agradeceu o senhor pela hospitalidade, este finalizou sua meditação matinal levantou e para o homem disse:

- Não floresce quem não padece.


SS Martinelli

S²FM

Pela janela olhei, tulipas não encontrei. Pensei, Filosofei, Bloguei.