Contos para o Governador 3º

by 6/05/2013 0 comentários
Personagens: Fátima 42 anos trabalha na equipe de segurança do metrô, separada, 2 filhos. Rogério, 37 anos, pedreiro, chegou do nordeste há 3 anos, casado pai de 5 filhos. Regina e Welinton em relacionamento confuso, levam vida de bandidos há 5 anos.

Morador da zona norte, Rogério levanta ás 3h45, toma seu café preto no ponto e pega o ônibus para o metrô meia hora depois. Todos os dias a rotina era a mesma. Nessa quinta-feira não seria diferente, contudo a mesmice do cotidiano mesmo parecendo indestrutível, era na realidade suscetível a influência de terceiros. 

Fátima trabalhava naquela estação há pelo menos 20 anos, sua posição perto das catracas favorecia a observação de todo tipo de pessoa, desde as mais normais até as mais estranhas. Apesar de ser presença intimadora, ela nunca mexeu um dedo contra qualquer pessoa ou movimento estranho, “Ordens”, ela dizia para se convencer. 

Regina e Welinton viviam da bandidagem, sem local fixo o casal dormia em hotéis baratos, gastavam o dinheiro dos roubos em baladas, bebidas e drogas. Na mesma quinta-feira que Rogério seguia sua rotina, o casal decidiu fazer ponto no metrô. Assim que entraram na estação, Fátima notou sua estranheza e comportamento duvidoso e decidiu ficar de olho no casal.

O dia correu normalmente para Rogério, ele trabalhou até os músculos cansarem e as 17hrs em ponto bateu o cartão e rumo para casa. Fátima permaneceu na cola do casal até o fim de seu turno, por vezes tentou avisar as pessoas do perigo, mas condicionada a interferir somente quando alguém tentasse pular a catraca, ela não fez nada sobre o casal. 

Na saída do metrô Fátima cruzou com Rogério e acenou com a cabeça cumprimentando-o, faziam 3 anos que todos os dias ela o via chegar e sair da estação sempre no mesmo horário. O casal que estava sentado na escadaria olhou para Rogério e logo marcaram sua vítima. Fátima percebeu a ação, mas jurou que Rogério entraria na estação e estaria a salvo. Outro homem, que também estava saindo da estação percebeu a má intenção do casal, porém estava atrasado e tratou de sair de perto. Rogério distraído, não percebeu a aproximação do casal, quando se deu conta estava caído no chão sem carteira e com a mão quebrada. 

Essa foi à última quinta-feira que Fátima cruzou com Rogério, sem dinheiro e com a mão quebrada ele foi obrigado a voltar para a fome e seca. 


SS Martinelli

S²FM

Pela janela olhei, tulipas não encontrei. Pensei, Filosofei, Bloguei.