Carta ao amigo do Passado

by 10/11/2013 0 comentários
Olá amigo do passado, não poderia deixar de escrever está carta esperançosa de um futuro mais livre e flexível.

Hoje é 25 de maio de 2025, você pode não acreditar, mas o dia hoje é realmente dia, não existe mais stress no trânsito, as comunicações, reuniões e decisões do trabalho são feitas de casa, ou da padaria, ou do parque, ou de qualquer lugar a qualquer instante.

Tudo graças a nova tecnologia que desenvolveu aparelhos personalizados para cada um de nossos objetivos. Os meus, por exemplo, me ajudam a receber as orientações do chefe, executar as ações. Preparo os materiais e as apresentações em menos de uma hora. A vida tornou-se visível, não precisamos gastar tempo em frente a um aparelho quadrado e restrito, com uma simples caneta podemos fazer cálculos, projetos, entrar online, blogar em paredes ou superfícies plana.

No café da manhã enquanto mordo um pedaço delicioso de pão na chapa, sim ainda comemos pão na chapa, posso dar voz de comando à TV, celular, cafeteira, luz, torradeira, geladeira. Alias não existe mais roubo de celular, ou de qualquer outro aparelho eletrônico, pois cada aparelho funciona apenas as impressões digitais de seu dono. Quando chega a hora do almoço, a maioria das minhas tarefas já estão executadas. Hoje gastamos metade do dia no que antes perdíamos semanas para resolver.

Nas tarefas rotineiras também posso afirmar com categoria que não perdemos mais tempo apertando botões e programando máquinas que ajudam na limpeza, agora tudo é por comando de voz. Uma das maiores invenções da linha chamada branca foram os carrinhos robôs que deixados no quarto, banheiro ou em qualquer canto da casa levam, quando cheios as roupas ou louças direto para as respectivas máquinas. Você pode imaginar quanto tempo temos livre? A escravidão azafamada ficou aí com você no passado.

Termino esta carta agradecendo você, meu amigo do passado, sem sua visão, dedicação e aplicação não estaria eu neste futuro tecnologicamente esplêndido!
Este conto participou do Concurso The tomorrow project

SS Martinelli

S²FM

Pela janela olhei, tulipas não encontrei. Pensei, Filosofei, Bloguei.