O Riso Despercebido

by 6/16/2014 0 comentários
Um certo homem, dito por estranho, perambulava pelas ruas desejando o ordinário, entretanto, sempre passava percebido. Desgostoso com o dia, colocou na mente que a noite era melhor companhia. Mudou seus hábitos e ainda assim falhou em ser mais um na massa. Rejeitando tal conclusão, o estranho apressou-se em consultar o homem mais normal de cidade:

 - Desculpe incomoda-lo, há tempos percebo sua normalidade como você consegue tamanha proeza? 

O homem levantou o olhar e sem qualquer ironia respondeu: - Sorria mesmo quando de ti, não olham nem a ponta do nariz.
 

SS Martinelli

S²FM

Pela janela olhei, tulipas não encontrei. Pensei, Filosofei, Bloguei.