A Corrompida

by 12/11/2014 0 comentários
Na manhã de seu primeiro dia na nova vida, ela segurou nas pontas dos cabelos e enquanto retorcia a ansiedade, olhava para aquilo que permanecia abaixo de seus pés.

No meio do dia, deixou-se levar por tudo, menos pelo que dizia sua alma.

Pouco se passou, concentrada no que lhe contavam os outros, no final dia, sua alma já estava vendida, tudo se repetia.

SS Martinelli

S²FM

Pela janela olhei, tulipas não encontrei. Pensei, Filosofei, Bloguei.