A Grande Mudança

by 12/23/2014 0 comentários
E ele rogou:

- Deixe de ser criança,  a sensatez clama a alma não padece, já a emoção esbanja berros sem qualquer ruído.

Ainda pueril, seu olhar nada alastra além do maçante.

Andante de toca em toca, sabemos que  nada soma ao conhecimento do outro.

Teu suspiro intencionado está antenado a determinado nado.

Pobre de nós, se por fim declaramos nossos sentimentos, eles não serão aceitos.

O medo de sempre jamais deixará de estar presente, mesmo quando ausente.

Tão somente conheceremos a felicidade se ela não mais acompanhar a falsidade.

Idade, onde estão todos anos?

Esse noite, as estrelas são guias, vislumbre a vereda e saía de vez da valeta.

SS Martinelli

S²FM

Pela janela olhei, tulipas não encontrei. Pensei, Filosofei, Bloguei.