A Verdade é Essa parte 2!

O Falar odeia o Pensar!

A Verdade é Essa!

Somos Livres no Pensar e Enclausurados no Praticar.

A Discussão da Convivência

É sabido que a convivência humana não se dá por qualquer coisa, a rotina conserva a alma frígida. Não é por acaso que após longos dez anos de dia a dia ele, sem suportar nenhum segundo a mais de discussão, declamou em poucas palavras a realidade:

- Se meus modos incomodam tanto é porque os seus modos, devo afirmar minha querida, são melancólicos.  

O Diálogo

- Quando você olha os contornos de meu rosto, o que consegue ver?

O espelho nem sempre me conta a verdade.

- Você alcança a retidão de meu corpo?

Pobre de minha alma procura com tanto furor o encontro com sua semelhante que por vezes cala-se diante do amor.

- Quem detém o direito de obrigar o outro inteiro quando si mesmo apresenta-se em pedaços?

Que pelo menos meu toque desperte querer.


Quem sabe você sabe!

Naquela tarde de domingo de céu alaranjado ela, sem motivo aparente, despencou em profunda amargura no exato momento em que o filme começou a listar os atores em ordem nada alfabética.

Horas mergulhada em pensamentos nebulosos, seu rosto travou na pior máscara do teatro grego. Nada honorífico poderia rematar tal noite, contudo quem sabe o lampejo de seu real desejo não detenha o poder de seu resgate?

- Coisa alguma em minha nada doce vida faz sentido... Se pelo menos compreende-se o por que culpo o mar se são as estrelas que não consigo enxergar, algo em minha alma enfim poderia julgar...

Concurso: Responda se Puder

Quem acertar primeiro a charada, ganha um exemplar do conto Responda se Puder  + marcador de livro! 

Prontos? 

Lá vai:

Sem rosto, sem corpo, sem gosto, sem posto, sem oposto. 
Sem idade, sem identidade. 
Sem destino, quase bandido.
Há quem contemple meu sadismo, bem como meu naturalismo. 
Dito justo, meu reflexo está em tudo e em nada.
O nada quem sabe seja minha morada.
Quem sou eu? 
 Escreva sua resposta nos comentários e boa sorte!