Ela precipitou a ansiedade e logo nos primeiros segundos da confabularão anual dos intitulados catedráticos, postou-se a questionar:

- Será novo aquilo nunca visto? Será esquecido aquilo nunca repetido?

Nem mesmo um pio receberam suas respostas.


Desconsolado, ele perambulava pelas esquinas sem encontrar qualquer caminho. Em uma noite não tão fria, em um muro qualquer, toda sua dor pereceu:
O verdadeiro amor não convence, ele vem e vence.
Depois de arrancar todos o tipos de empecilhos, assentar cada pedregulho e lidar com os mais difíceis espinhos, ela, ainda assim não obteve sucesso algum. Consumida pelo fracasso, sua única saída seria acreditar no tinha que ser.


Na véspera de trocar os 50 pelos 60, ele, seco, de pele quase morena, cabelos intensamente brancos, unhas ruídas e barba descompensada, encontrou na arte de filosofar a reconfortante angústia de nunca estar só mesmo estando completamente sozinho.
... O diabo então lançou a mais perversa das pragas, no entanto, ela, sábia como era não fugiu, postou-se a frente e refletiu a César o que era de César.

Coincidentemente a tecnologia suaviza e intensifica a solidão.
Dúvida alguma de que o sol todos os dias raiava, ele tinha. Não. Dúvida não era.

Por dentro, mascarada nas constantes batidas do coração, escarrava a dor de uma corrente sanguínea interrompida.

Aquela sexta-feira, que de tão apaixonada levou consigo quem ele mais amava, entardeceu ecoando o formigamento, como era possível entender o abismo criado no ato?

A alvorada do Sábado não deixou, nem por um só segundo, faltar lágrimas. -Por que? Gritava ele, - E agora? Repetia ele. Ao cair da noite, um vento delicado e repleto de afeto acariciou sua dilatada face apaziguando seu pesar.

Dominado pela brandura, Ele despertou no domingo com uma luz perdida por entre seus pesadelos que sem qualquer cautela, com a simples missiva purgou toda água, que mais uma vez precipitava de seus olhos:

-  O fim é doado sem qualquer requerimento. Faça isso ou aquilo ele, para sempre reinará. Entretanto, não há motivo para fobia, saiba que seu beneficiário é ninguém mais que o renascimento.



Não era dia, não era noite, disso ele sabia.

Afinal nada estava tão claro e tão escuro que suspenderia a indecisão.

Solidão, isso ele desconhecia.

Pai, mãe, irmão, tio avós, primos, amigos desde bem novo, precisando alguém sempre aparecia.

O que então despertou tamanha secura que fez a alma clamar o gelado?

Na cama dura, forrada por lençóis ásperos como lixa d'agua, vestida com camisola de babado rasgado, ela rolava de um lado para outro na infantil esperança de abandonar o decorrer do dia, naquela noite em que a renda se fez bordado, nada era mais assustador do que não dormir, a insônia perpetuava o eterno.

Quão glória é ao Pai quando o Filho, com o Espírito diluído, além de não alcançar êxito algum é capaz de ferir qualquer um?
Suspirando ela declamou: - A vida sem fim, a Lua me disse, é infeliz.
Deixe o mundo pensar que você é sempre você.

Esqueça do tenho que, acredite no tinha que ser.

Quando se sentir só, pense no universo.

Não ame só que ama você, sorria ao dizer bom dia.

Trate os animais como membros da sua família.

Beba água com gás, coma macarrão, não use drogas.

Use roupas claras, sapatos baixos, fuja do jeans.

Pensamentos ruins acontecem, aja com naturalidade.

Não finja, preserve o verde, compre verduras.

Viva o hoje, esqueça do amanhã, lembre do passado.

Não repita o mesmo caminho mais de duas vezes.

Pule na piscina a noite, saia para tomar um café.

Use sempre guardanapo, prato de sobremesa, colher de sopa.

Mantenha 90% do tempo a boca fechada, olhe com os olhos.

Não dirija, ande de bicicleta, caminhe no parque.

Estude os símbolos, os provérbios, astrologia, economia.

Fuja da rotina, lute por sua alma gêmea, encontre liberdade.

E não esqueça o outro faz parte de você.



A Fé institui a absoluta ausência de dúvida.

Sejamos humanos,

quem são aqueles que convictos,

deixam de questionar?