Conto Filosófico: Na Taberna

by 8/30/2013 0 comentários
Em uma palestra sobre a vida moderna e suas doenças, um homem comum tomado pela fácil associação das palavras com sua vida levantou bruscamente da cadeira vermelha e em repetição vociferou para o palestrante:

- Não me venha com intenções, sorrisos e piscadelas. Diga com autenticidade o real fator desconcertante.

Sem saber o que dizer, o palestrante procurou em seus papéis algo surpreendente, contudo com cara de paisagem esperou o homem alcançar a tranquilidade sozinho. A plateia, apesar de animada com a quebra da monotonia, permaneceu em silêncio e o questionador logo se calou.

Anos após a fraca palestra, o homem que desertou de sua rotina chegava finalmente ao fim da peregrinação e em uma taberna feita de madeira de barco abandonado procurou saciar a fome e acabou encontrando a tão sonhada resposta. 

Na mesa do canto esquerdo repleta de copos vazios de cerveja e pratos com restos de comida, dois homens, um barbudo e outro de bigode discutiam sobre algo que parecia sem sentido, entretanto a frase reveladora surgiu somente no desfecho proclamado pelo homem de bigode:

- ... tudo super ativo em um mundo muito relativo.

SS Martinelli

S²FM

Pela janela olhei, tulipas não encontrei. Pensei, Filosofei, Bloguei.