A Pescaria

by 7/23/2011 0 comentários
Ela acordou decidida:
Ao mar ia pescar.

Horas a fio, nem um pio.

Cansada, mal percebeu a grande fisgada, - Pescou o mais cobiçado pecado.

Sorridente, alegro-se de tanta ousadia.

Caminho à cidade, em euforia gritou:
-Morte a condenação, ninguém é mais culpado!

Do outro lado alguém respondeu:
-Sem culpa, bichos viramos!

Sem qualquer ansiedade voltou ao mar.

Em meio a devaneios, 
parou no meio da ponte e pensou:
“Como é possível não estarmos prontos? Pobres de nós, pensamos que tudo comandamos em verdade digo, não controlamos nem o mais básico dos instintos.”

Encorujada, 
despejou o que foge a compreensão.

Hoje ela dormiu decidida:
Ao mar nunca mais deve voltar.

SS Martinelli

S²FM

Pela janela olhei, tulipas não encontrei. Pensei, Filosofei, Bloguei.